Com tecnologia de ponta desenvolvida com exclusividade por uma empresa japonesa, o projeto tem como objetivo contribuir com a segurança das ciclovias na capital paranaense.


O desenvolvimento de energias alternativas e sustentáveis em Curitiba ganhou reforço no documento de cooperação assinado nesta terça-feira (28) entre a Prefeitura, o governo japonês – por meio da Agência de Cooperação Internacional do Japão (JICA) – e a empresa Soundpower Corporation.

 

piso-que-gera-energia-sera-implantado-nas-cicloviasde-Curitiba

Foto: Valdecir Galor/SMCS

 

Um projeto-piloto será desenvolvido para a implantação de piso gerador de energia em tráfego e executar a sinalização de cruzamentos envolvendo ciclovias e vias. O desenvolvimento e implantação da ideia tem a participação do Departamento de Iluminação da Secretaria Municipal de Obras Públicas, que já desenvolve projeto para iluminar trechos de ciclovias no município.

O diretor da Jica no Brasil, Ryuichi Nasu, ressaltou a longa história de cooperação que a instituição tem com Curitiba, principalmente com ações desenvolvidas pelo Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (IPPUC), mas que se estendem também à Sanepar, em âmbito estadual. Sobre a implantação do piso gerador de energia, Nasu ressaltou que se trata de mais um produto com tecnologia de ponta desenvolvida com exclusividade por uma empresa japonesa e que tem como objetivo contribuir com a segurança das ciclovias na capital paranaense. “O produto desenvolvido vem a suprir necessidade da cidade em proporcionar ciclovias e ciclofaixas com mais segurança para pedestres e ciclistas” afirmou.

O projeto-piloto do piso gerador de energia deverá ter seus primeiros resultados somente no segundo semestre do próximo ano.

“Essa cooperação vai possibilitar que Curitiba continue inovando. O projeto traz tecnologia de ponta à cidade, com o uso de energia alternativa e desenvolvimento sustentável, que resultará em mais segurança para a população de Curitiba”, afirmou o secretário municipal de Obras Públicas, Sergio Antoniasse.

As conversas para a implantação deste projeto-piloto no município iniciaram em 2015 e vão ter continuidade durante este ano.

 

Fonte: Prefeitura de Curitiba