O solo é a camada superficial do planeta, nela habita uma diversidade de seres vivos essenciais para que o equilíbrio ecológico se mantenha. A contaminação acontece através do despejo incorreto de lixo. Resíduos industriais e agentes químicos presentes em alguns rejeitos se infiltram no solo, afetando fungos, bactérias e pequenos vertebrados presentes na terra. Além de tornar o solo infértil, essas toxinas podem chegar até o lençol freático, importante fonte de abastecimento de água.

Indústrias que utilizam grandes quantidades de água em seus processos industriais tem maior potencial de poluir cursos de água através da descarga de seus resíduos em córregos e rios. A exploração petrolífera e seus métodos de eliminação de resíduos e a disposição inadequada de lixo também estão entre as principais causas.

Além da contaminação da água por processos industriais, existe o despejo de resíduos em vias públicas, que podem entupir as “bocas de esgotos”- galerias pluviais que servem para escoar a água da chuva, que uma vez obstruída por acumulo de lixo, impedem a passagem da água, provocando alagamentos e inundações.

A água é essencial para o sustento e o crescimento dos seres humanos, bem como de todos os animais e plantas. A má qualidade da água poluída facilita a transmissão de doenças, responsáveis por causar inúmeras mortes. Dentre as principais doenças transmitidas pela água estão a diarreia infecciosa e a cólera, doenças que atingem principalmente as crianças.

O que fazer para solucionar o problema?

Segundo o Ministério do Meio Ambiente, nosso País produz cerca de 240 mil toneladas de lixo por dia, onde a maioria é descartada de forma irregular. Algumas atitudes fariam total diferença, e a principal delas é a reciclagem – apenas 3% de todo lixo gerado e reciclado.

A reciclagem consiste em um conjunto de técnicas, capazes de fazer com que itens inutilizados se transformem novamente em matéria prima e voltem para o seu ciclo produtivo. Essa é a alternativa que mais contribui com o meio ambiente, pois reduz a extração dos recursos naturais que são retirados da natureza, poupa água e enérgica, além de contribuir com a diminuição do volume de lixo.

Atividade que deve ter início em casa, a reciclagem se dá através da adoção da Coleta Seletiva, que tem como principal objetivo a separação do lixo, sendo ele orgânico, inorgânico, reciclável e não reciclável. Após esse tratamento inicial, o resíduo poderá ser disposto para a coleta seletiva e posteriormente, a reciclagem.

O problema é que apenas 14% da população tem acesso a Coleta Seletiva, para piorar são poucas as residências que recebem o sistema porta em porta, realizado pelo poder público, ou seja, quem não tiver acesso ao serviço e desejar descartar corretamente seus resíduos terá que encontrar o ponto de coleta mais próximo. Diante disso, o que o morador faz? Descarta todo seu resíduo no lixo comum, seja ele reciclável ou não.

Ainda assim, a maior dificuldade encontrada pela população é na hora de se desfazer de resíduos de porte grandes, como sofás e geladeiras, por exemplo. Para descarta-los é necessário ter um veículo para locomoção, já que eles não são coletados pelos órgãos públicos. Esses empecilhos se tornam uns dos motivos pelos quais as pessoas não contribuem com a destinação adequada de seus resíduos.

E o que fazer para descartar meus resíduos corretamente?

Quantas vezes você já deve ter se deparado com pilhas de madeiras de móveis e sofás jogados em calçadas, muitas, não é? Pensando em contribuir com a solução do problema, oferecemos o serviço de Descarte Ecológico, que consiste na coleta e destinação adequada de diversos tipos de resíduos. Com ele você se desfaz de tudo aquilo que não utiliza mais, o melhor, da madeira correta.

Saiba mais