isopor

 

A cidade de Nova York disse adeus aos copos, pratos e a todas as embalagens feitas de isopor, isso porque a proibição do uso do poliestireno expandido (EPS) foi decretada no dia 01 de Julho.

A lei afeta qualquer instituição, restaurante, food truck ou empresa que use, venda ou produza o produto, que terão seis meses para se adaptar. Depois desse prazo, serão multadas.

Já as organizações sem fins lucrativos e empresas com menos de US $ 500.000 em receita anual poderá se beneficiar de uma isenção da proibição do uso do isopor, desde que provem que o uso de materiais substitutos acarretará em dificuldades financeiras.

A determinação foi feita após considerar que a reciclagem do isopor não é ambientalmente eficaz, pois diferentemente do metal, vidro e plástico, o poliestireno expandido (EPS) não pode ser reutilizado.

De acordo com o prefeito da metrópole americana, Bill de Blasio, estes produtos causam danos ao meio ambiente e não terão mais lugar em Nova York, além disso, há alternativas muito melhores para substituir o produto, que em breve custará menos.

Estima-se que mais de 30.000 toneladas de isopor deixarão de ir parar nas ruas, rios e aterros. Segundo Kathryn Garcia, responsável pelo saneamento da cidade, a remoção do isopor do nosso fluxo de resíduos é sim a opção mais sustentável, além disso, influencia positivamente no processo de triagem e reciclagem da cidade.

O isopor já é proibido em várias cidades do país, incluindo Minneapolis, São Francisco, Oakland, Portland, Albany, e Washington, DC. No total, mais de 70 cidades proibiram o uso do isopor, obrigando pequenas e grandes empresas a buscarem produtos alternativos biodegradáveis ​​ou recicláveis.