economia-de-agua-e-energia-eletrica

 

Com a crise no abastecimento de água e o aumento na conta de energia elétrica começamos a mudar nossos hábitos diários, para consumir esses recursos de forma mais consciente. Em condomínios e prédios, os gastos tendem a ser maiores, isso acontece por diversos fatores, mas que podem ser revertidos adotando algumas medidas simples. Abaixo um guia prático que te ajudará seu condomínio a economizar água e também energia:

 

Economia de energia elétrica

 

descarte-correto-de-lampadas

 

  • Mantenha acesas apenas as luzes necessárias, especialmente nas garagens;
  • Se o prédio não tiver, instale minutarias ou sensores nas escadas;
  • Acompanhe o consumo mensal em quilowatts;
  • Quando houver dois ou mais elevadores no mesmo hall, instruir os condôminos e empregados a chamar apenas um é uma boa opção.
  • Evitar que crianças façam do elevador um brinquedo de sobe e desce;
  • Estabelecer horários para a iluminação de sala de estar no térreo, quadras esportivas, salões de jogos etc.;
  • Usar o tipo adequado de lâmpada, e jamais permitir que os jardins e halls sociais fiquem excessivamente escuros, pois, além de entristecer o edifício, agem contra os esquemas de segurança. Obs.: Existem minutarias individuais (só do próprio ambiente) e existem tipos de lâmpadas que consomem até 1/4 de energia com a mesma luminosidade.

 

Economia de Água

 

economia-de-agua-no-chuveiro

 

 Faxina

  • Na limpeza de pisos na área externa, substituir o esguicho pela vassoura. O resultado é o mesmo. Para áreas internas, como hall e salão de festas, um pano umedecido em um balde com água e produto de limpeza é a melhor solução.

 

Jardim

  • Ao regar plantas com mangueira durante 10 minutos, o gasto de água pode chegar a 186 litros, regá-las com esguicho revólver ou regador será possível economizar cerca de 90 litros.
  • Regar no começo da manhã ou no final da tarde, momentos em que ocorre menor evaporação de água – portanto, evita-se o desperdício. No inverno, regar em dias alternados e de preferência no primeiro horário da manhã. Evitar a rega à noite, pois poderá provocar proliferação de fungos nas raízes.
  • Na rega do jardim, não se deve exagerar na quantidade de água, pois, além do desperdício, um solo encharcado pode prejudicar as plantas.

 

Piscina

  • Sem cobertura de proteção, exposta ao sol e à ação do vento, ela perde aproximadamente 3.785 litros/mês por evaporação. Providencie uma cobertura para a piscina: isto reduzirá a perda em 90%.
  • Ao fazer a limpeza rotineira da piscina, não selecione “retrolavagem” (função que apenas limpa a areia da bomba) na bomba, mas “filtrar”, para evitar desperdícios.

 

Hidrômetro

  • Checar periodicamente o consumo de água do condomínio: definir o consumo médio por semana e procurar vazamentos se houver alterações significativas.
  • Verificar periodicamente as bombas do reservatório de água, equipamentos da piscina, sempre atento a vazamentos, bem como na tubulação do prédio. Vazamentos agravam o consumo de água.
  • Para se verificar vazamento na válvula ou na caixa de descarga, um ponto comum de vazamento, pode-se fazer um teste bem simples: jogue cinza de cigarro no vaso sanitário. Normalmente, a cinza fica no fundo do vaso. Em caso contrário, isto é, se a cinza não parar no fundo do vaso e ficar boiando na superfície da água, é sinal de vazamento na válvula ou na caixa de descarga.

 

Durante falta d’água

  • Fechar o registro de entrada, para evitar que o ar que fica nos encanamentos seja marcado pelo hidrômetro como água consumida.

 

Reuso da água

  • Para isso será necessário implantar um sistema de captação da água através do telhado e calhas e direcioná-la para um reservatório contendo um filtro para a limpeza de impurezas, a água não será potável, mas poderá ser utilizada para limpeza em geral, rega de plantas, além de poder ser direcionada para as descargas, lavagens de roupas e até de carros, evitando assim, o uso da mangueira e diminuindo o desperdício de água.