Segundo o monitoramento realizado na área florestal na Amazônia Legal, 288 km2 foi desmatado no mês de Janeiro. Os dados, não oficiais, foram levantados pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e indicou um aumento de 169% em relação ao mês anterior.

 

Além desses dados, o boletim inclui números referentes à degradação florestal, com grande exploração ou atingida por queimadas, chegando a 389 km2 somente no mês de Janeiro, o equivalente a um aumento de 1.116% comparado com mês anterior.

 

Os estados com piores índices foram Mato Grosso, que concentrou 70% das perdas, seguido do Pará com 20% e Rondônia com 2%.

 

As áreas que tiveram maior incidência de desmatamento eram privadas (80%), ocasionando uma perda de 231 km2. O restante foram os assentamentos de reforma agrária, responsáveis por 12% da perda.

 

Em Janeiro de 2015, foi possível monitoras com o SAD apenas 50% da área florestal na Amazônia Legal, pois os outros 50% estavam cobertos por nuvens, dificultando a detecção do desmatamento e degradação florestal. Os estados com maior cobertura de nuvens foram Amapá (89%) e Acre (81%). Sendo assim, os dados podem estar subestimados.

 

 

desmatamento-floresta-amazonica

Fonte: Imazon