A horta comunitária fica na calçada e qualquer um pode colher diariamente o que quiser. 

 

O projeto de tornar um canteiro de calçada abandonado em uma horta surgiu quando Fábio e Jaq Joner se mudaram do Rio de Janeiro para Atibaia esse ano e desde o carnaval eles trabalham na ideia.

A vontade de fazer algo assim começou quando eles foram morar em Buenos Aires, em 2010, e conheceram um grupo de ativistas que realizavam ações de cultivo e limpeza urbana em terrenos abandonados.

“Começou num espacinho pequeno que limpamos. Plantamos algumas mudas que compramos e outras que havíamos plantado as sementes. Aí fomos aumentando a horta na medida que íamos limpando/capinando e hoje a horta chega a ocupar um quarteirão! ”diz Fábio Nagel.

Segundo o casal, não houve uma conversa inicial com a vizinha para iniciarem a horta, simplesmente começaram a fazer. No início ninguém acreditou que fosse dar certo, principalmente por ser uma plantação onde todos poderiam colher, “diziam que não duraria um dia”.

Com o tempo foi dando certo e hoje ela vive das doações dos próprios moradores, que levam sementes, utensílios para cultivo e adubo. A produção é pequena mas é possível encontrar tomate, pimentão, berinjela, brócolis, alface, ervilha, beterraba, couve, além de folhas de chás como hortelã, erva doce, cidreira, poejo, manjericão, guaco, entre outras hortaliças.

Os benefícios da horta comunitária

 Os benefícios são vários, desde a transformação de um espaço abandonado em um lugar de convívio, até proporcionar um laço afetivo com as pessoas. Fábio relata que o fato de poder colher alimentos gratuitos é uma das últimas coisas que importa, mas sim a relação de amizade que horta proporcionou para as pessoas

 “As pessoas passaram a se conversar mais, trocar informações, mudas, receitas. Teve vizinhos que se falaram pela primeira vez se encontrando na frente da horta! Pais trazem os filhos para mostrar as hortaliças crescendo no pé e as crianças saem impressionadas e felizonas”, diz Fábio orgulhoso. “Agora todos são unânimes em dizer que a horta mudou completamente o astral da rua, e claro, revitalizou totalmente um lugar que antes era ocioso e largado”. A horta se tornou inclusive um ponto turístico na cidade. “Vem gente de outros bairros conhecer, fotografar – e ainda levam um “souvenir”, um pouco de manjericão, hortelã, uma berinjela… enfim, também usufruem da horta”.

A iniciativa se tornou tão grandiosa que resolveram criar a Órbita da Horta, um projeto que mistura arte e horta itinerante.

Confira mais sobre o projeto aqui